quinta-feira, 30, maio, 2024
27 C
Cuiabá

UFMT reconhece atuação de servidores na saúde e cultura

Mais lidos

Por: Luiz Carlos Bezerra

Marcando os 53 anos de fundação da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) está o reconhecimento de títulos de Doutor Honoris Causa e de Mérito Universitário, mais altos títulos concedidos pela Instituição para membros da comunidade externa e interna, respectivamente. Aprovados pelo Conselho Universitário (Consuni),  este ano os homenageados figuram pela atuação na  produção artística, cultural e científica do estado, e estarão na solenidade que acontece no próximo dia 07 de Dezembro, às 19h, no Teatro Universitário.

Os indicados ao título de Doutor Honoris Causa foram os artistas Dalva de Barros e Humberto Espíndola. Foram indicados à medalha de Mérito Universitário a artista Aline Figueiredo, o professor, cineasta e musicista Celso Luiz Prudente e a médica e professora Marcia Hueb.

Para o reitor da UFMT, professor Evandro Soares da Silva, os títulos expressam o reconhecimento da atuação para o progresso da universidade, da região e do Brasil, em prol das ciências, da educação, das letras, das artes e da cultura. “Nos 53 anos da UFMT, a outorga dessas cinco honrarias traduz o sentimento da sociedade mato-grossense e brasileira pela plenitude e representatividade dos agraciados em áreas tão significativas e fundamentais, especialmente no período de isolamento, durante o enfrentamento da pandemia de Covid-19”, disse

“No campo das artes e a cultura há de falarmos que nos permitiram sobreviver, resistir, compreender e restabelecer a conexão com a realidade, em um período recente tão sombrio para a humanidade. Por outro lado, a professora e pesquisadora Márcia Hueb foi o verdadeiro rosto da UFMT, da saúde e da ciência, e grande referência de Mato Grosso, na luta pela prevenção e no combate à doença causada pelo coronavírus”, ressaltou, complementando sobre a atuação da médica na década de 80, frente à e onda do HIV/Aids no Estado.

Crescimento e reconhecimentos

Frente a essa difícil missão junto aos mais de três mil servidores distribuídos em uma universidade multicampi, está a coordenadora dos Títulos Honoríficos UFMT 2023, Tânia Arruda, que atua junto à Pró-reitoria de Cultura, Extensão e Vivência (Procev),  na preparação da solenidade.

“Toda a preparação dos indicados começa com a instrução dos processos, em que registramos pesquisa aprofundada da vida de todos, com comprovações, destacando a importância dessas trajetórias para a UFMT, Estado e Região. O Consuni recebeu em agosto, e no mês de outubro aprovaram”, ressaltou.

A coordenadora complementou que para o evento, a organização prepara um cerimonial institucional e artístico. “É um momento muito especial e precisamos valorizar cada detalhe marcando esse reconhecimento com calor humano. Não queremos que seja meramente a entrega dos certificados, mas sim, que as pessoas sejam verdadeiramente tocadas de forma bem especial sobre a importância desses profissionais para o Estado”, destacou, citando a necessidade mostrar  para as gerações futuras, de servidores e cidadãos, os anos de dedicação e contribuição deles.

Ainda sobre o perfil dos homenageados, a coordenadora ressalta as áreas do conhecimento, como nas artes plásticas, com os artistas Aline Figueiredo e Humberto Espíndola,  e que viabilizaram a criação do nosso Museu de Arte e de Cultura Popular (MACP) da UFMT. Destacou ainda a homenageada, Dalva Barros,  primeira professora do Ateliê Livre da UFMT,  responsável por formar grandes artistas como Adir Sodré e Nilson Pimenta e as gerações de artistas animados pelo Ateliê Livre de Arte.

No cinema e música,  figura o docente Celso Luiz Prudente, personalidade notável na luta pela construção e afirmação da identidade do afro descendente brasileira e pelo combate ao racismo, e na saúde a forte presença da médica infectologista e docente Márcia Hueb junto à Faculdade de Medicina e o Hospital Universitário Júlio Müller (HUJM), em Cuiabá.

- Publicidade -
960x120
- Publicidade -

Últimas notícias

Feito com muito 💜 por go7.com.br