segunda-feira, 4, março, 2024
29.1 C
Cuiabá

Secretário Jefferson Neves garante que pagamentos do edital de incentivo à literatura começarão a ser feitos até sexta (30)

Mais lidos

Por: Lorraine Alves

Em conversa com redação do NMT, o solícito secretário de Estado de Cultura, Esporte e Lazer, Jefferson Neves, falou sobre o edital de incentivo à literatura Estevão de Mendonça e a Lei Paulo Gustavo.

O jurídico está finalizando a análise referencial da minuta e após isso começaremos a assinatura dos termos e pagamentos até sexta-feira (30)”, garantiu o secretário.

Lembrando que o edital Estevão de Mendonça de incentivo de à literatura mato-grossense foi lançado no dia 07 de abril de 2022 pela SECEL, com período para inscrição entre 13 abril e 31 de maio do mesmo ano e que após uma dezena de retificações de cronograma por mais de 13 meses, o resultado final da última categoria pendente, que se tratava da publicação de obras literárias, saiu em 21 de maio do presente ano.

O atraso só não foi maior graças ao auxílio na análise dos projetos de pareceristas da Academia Mato-grossense de Letras”, nos disse uma pessoa de dentro da SECEL, que pediu para não ser identificada. “O grande problema é o jurídico, que viaja pelo estado fazendo política e esquece que muitos dependem desses editais para sobreviver, o edital de literatura ficou vários meses parado na mesa deles”, completou nossa fonte.

Aproveitando a informação acima, o site NMT perguntou se a análise de projetos da Lei Paulo Gustavo será feita por funcionários da SECEL ou contará com pareceristas externos.

Todas as análises serão feitas por pareceristas externos”, falou enfaticamente o secretário Jefferson Neves.

Vale ressaltar que ao todo, a Lei Paulo Gustavo terá um repasse direto de R$ 3,8 bilhões, o maior valor da história do país destinado ao setor cultural. Desse montante, R$ 2 bilhões são voltados para os estados e R$ 1,8 bilhão para os 5.570 municípios brasileiros.

Entre os estados da Região Centro-Oeste, o investimento para a cultura no Mato Grosso é o segundo maior. Do total, R$ 34,9 milhões vão para o governo estadual e cerca de R$ 31,5 milhões estão disponíveis para os 141 municípios.

A capital Cuiabá tem a previsão de maior volume de repasses da Lei, com mais de R$ 4,8 milhões. Entre as cinco cidades com montantes mais altos estão Várzea Grande (R$ 2,2 milhões), Rondonópolis (R$ 1,8 milhões), Sinop (R$ 1,2 milhões) e Tangará da Serra (R$ 878,6 mil).

- Publicidade -
960x120
- Publicidade -

Últimas notícias

Feito com muito 💜 por go7.com.br