quarta-feira, 12, junho, 2024
32 C
Cuiabá

Cuiabá: Lincoln Sardinha, novo secretário de Turismo, destaca Museu da Caixa D’Água Velha como cartão postal da cidade

Mais lidos

O novo secretário de Turismo de Cuiabá, Lincoln Tadeu Sardinha Costa, destaca o sucesso de visitação nos museus da capital. Ele cita como exemplo o Museu da Caixa D’Água Velha, localizado na Rua Nossa Senhora de Santana, 1-105 – Centro Sul. Segundo ele, cerca de 500 a 600 pessoas visitam o local em exposições permanentes e temporárias. Na capital, são três museus gerenciados pela Prefeitura de Cuiabá: além do Museu do Morro da Caixa D’Água Velha,  o Museu do Rio Alfredo Scaff Hyd e o Museu de Imagem e Som de Cuiabá – MISC.
“Temos um turismo interno que precisa ser explorado ainda mais. Nós gerenciamos dois museus, e um deles, o da Caixa D’Água, é um sucesso em termos de visitação. Precisamos expandir para os demais e oferecer mais opções de lazer junto a eles, talvez até um café anexo. Estou confiante porque temos projetos aqui para melhorar ainda mais os museus, que são ambientes agradáveis. Aqui no Museu do Rio, temos um restaurante e estamos perto do Rio Cuiabá. Precisamos fazer alguns ajustes nos próximos dias, mas a ideia é melhorar para ampliar as visitações”, comentou Lincoln.
O Morro da Caixa D’Água está recebendo a exposição do artista plástico Hermínio Luís Nhantumbo, intitulada “Nhantumbo Space”, natural de Moçambique. A exposição “Hora da Ponta” ocorrerá entre os dias 3 de março e 23 de abril, das 9h às 11h e das 13h às 17h. O artista descreve que a exposição “Hora da Ponta” representa a correria do dia a dia em Moçambique, retratando o esforço daqueles que buscam trabalho para sustentar suas famílias.
Já o Museu do Rio conta com uma exposição permanente de fotografias da antiga Cuiabá no auditório “Arquiteto, Urbanista e Artista Plástico Moacyr Freitas”. Moacyr Freitas foi o criador dos projetos da atual rodoviária de Cuiabá, da Avenida Miguel Sutil e um dos idealizadores do Centro Político Administrativo (CPA) e do Parque Mãe Bonifácia, entre outros.
Museu do Rio Cuiabá – Hid Alfred Scaff
O Museu do Rio Cuiabá está instalado no prédio do antigo Mercado do Peixe, construído em 1899. A construção foi tombada pelo Governo do Estado em 1983, e a recuperação do prédio aconteceu em 1999, pela Prefeitura Municipal de Cuiabá, no ano em que se completou o centenário de sua construção. O local passou a abrigar o Museu do Rio Cuiabá, “Hid Alfredo Scaff”. Essa iniciativa contribui para a recuperação da memória do bairro do Porto e dos municípios às margens do rio Cuiabá, sendo uma fonte de pesquisa para historiadores e interessados na cultura regional.
O Museu do Rio Cuiabá possui linhas de ação que garantem sua efervescência cultural e tem se transformado em um polo criador e articulador de vivências e pesquisas sobre a arte e a cultura popular mato-grossense. O museu conta a história da cidade de Cuiabá por meio de exposições de fotografias, peças de artesanato, artes sacras e maquetes da região.
O Museu do Rio de Cuiabá está localizado dentro do antigo Mercado do Peixe, às margens do rio Cuiabá, na Avenida Beira Rio, s/nº, Porto. O espaço fica aberto de segunda a sexta-feira, em horário comercial.
Museu da Imagem e do Som de Cuiabá (MISC)
Inaugurado em 2006, o Museu da Imagem e do Som de Cuiabá (MISC), “Lázaro Papazian Chau”, vem somar-se às diversas iniciativas que atuam pelo desenvolvimento do audiovisual em Cuiabá. O espaço abriga um importante acervo histórico da cidade. Além disso, o MISC serve como suporte para investimentos em formação, concursos fotográficos, oficinas, mostras, exposições e outras atividades.
O museu é um dos equipamentos culturais mais visitados do município e está localizado no coração do Centro Histórico, nas dependências do antigo Sobrado do Alferes “Joaquim Moura”. Em seu interior, há um acervo de imagens e sons de valor inestimável para a cultura regional. São aproximadamente oito mil fotos do fotógrafo Eurípedes Andreato, retratando o cotidiano, fatos, monumentos e personalidades de Cuiabá no passado. Além disso, o acervo conta com uma infinidade de discos de vinil, imagens em fitas de vídeo, áudio em fitas-cassete e outras preciosidades, oferecendo um registro visual e sonoro para conhecer a Cuiabá de tempos passados.
O MISC está localizado na Rua Voluntários da Pátria, nº 75, esquina com a 7 de Setembro, no Centro Histórico da capital. O espaço fica aberto nos dias de semana, das 8h às 18h, com duas horas de fechamento (12h às 14h).
Museu do Morro da Caixa D’Água Velha
O pequeno aqueduto de estilo romano, conhecido como Morro da Caixa D’Água, foi construído em 1882, durante a gestão do coronel José Maria de Alencastro como presidente da Província de Mato Grosso. A caixa d’água recebia água aduzida pela Hidráulica do Porto, movida por máquina a vapor. Essa caixa abastecia a população cuiabana com água potável por gravidade.
Dessa forma, Cuiabá vivenciou a implantação de um novo sistema de abastecimento de água potável, com canos de ferro fundido embutidos no subsolo, principalmente na área central da cidade, marcando assim a concepção do ambiente urbano do município de Cuiabá. O projeto de revitalização do morro e restauração da caixa d’água irá desenterrar, literalmente, a história da cidade, transformando essa área em um espaço educacional, cultural e turístico de grande importância.
Redescoberto e recuperado no final de 2007, o Museu ganhou destaque nos roteiros turísticos, de pesquisa e passeios educativos, e está localizado em uma área urbanizada que se integra com a natureza. O espaço tornou-se um dos monumentos histórico-turísticos mais visitados da capital. O Museu da Caixa D’Água Velha em si consiste em uma grande exposição de arte aos olhos dos visitantes. Além das exposições permanentes, que mostram objetos que fizeram parte de sua própria história, como tubos de ferro fundido e registros usados no controle da distribuição de água, o Museu também promove mostras rotativas de peças de artistas locais e de outras regiões do estado.
O Morro da Caixa D’Água Velha abriga o Museu das Águas, sendo um local de efervescência cultural. A parte interna, onde se encontra o aqueduto, impressiona os visitantes. Esse reservatório comportava 1,2 milhões de litros, o suficiente para garantir o abastecimento dos 25 mil moradores de Cuiabá.
Na parte superior da obra, foram construídos vários espaços, como um grande deck de madeira que contorna uma grande ximbuva (árvore de 75 anos utilizada pelos ribeirinhos para a produção de viola-de-cocho), que recebeu atenção especial.
O Museu está localizado na Rua Comandante Costa, esquina com a Nossa Senhora de Santana, no centro da cidade. O espaço está aberto para visitação todos os dias, de segunda a sexta, das 8h às 17h, e aos sábados e domingos, das 9h às 17h (com intervalo das 12h às 13h).
Fonte: Fernanda Leite/Secom
- Publicidade -
960x120
- Publicidade -

Últimas notícias

Feito com muito 💜 por go7.com.br