quarta-feira, 29, maio, 2024
24 C
Cuiabá

Audiência Pública discutirá políticas públicas para uso da cannabis medicinal

Mais lidos

A vereadora Edna Sampaio e a Associação de Pacientes, Apoio Medicinal e Pesquisa de Cannabis Medicinal em Mato Grosso (ASPAMPAS) realizarão, na próxima segunda-feira (15), às 9h, uma audiência pública sobre, acesso, pesquisa e a regulamentação do uso da cannabis para fins medicinais. O evento acontecerá no plenário da Câmara Municipal de Cuiabá.
Com o  tema “Direito à saúde, associativismo e impacto social”, a audiência contará com a presença de uma das principais autoridades sobre o tema na atualidade, o médico neurocientista Sidarta Ribeiro, professor da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).
Segundo a presidente da ASPAMPAS, Tânia Luz, o grupo surgiu a partir da necessidade dos pacientes de doenças raras e seus familiares que encontraram na cannabis natural o apoio necessário para melhorar a qualidade de vida. Disse também que as mães perceberam melhora significativa em seus filhos que sofrem de convulsões após usarem o extrato de CBD, ou canabidiol, substância presente na planta que auxilia no tratamento.
A substância CBD é usada para o tratamento de condições como autismo, esquizofrenia, paralisia cerebral, dor crônica, encefalopatia, fibromialgia, Mal de Parkinson, transtorno de desenvolvimento, depressão e ansiedade. Além dela, outras centenas de substâncias são encontradas na cannabis. Atualmente, as pesquisas são centradas nos componentes CBD (canabidiol) e THC (tetrahidrocanabinol), conhecido por sua função psicoativa.
Tânia salienta que o objetivo da associação também é fomentar o conhecimento sobre a cannabis, além de viabilizar a assistência para o consumo medicinal. “Trabalhamos com a consciência sobre a questão da cannabis, desmistificando o preconceito. Temos o cuidado de buscar a assistência para quem precisa da planta e o contato com os profissionais”.
Sidarta Ribeiro afirmou em entrevista à TV Cultura que a planta é segura e também uma commodity, geradora de economia em muitos países nos quais seu uso medicinal é legalizado. “Eu sou da opinião de que devemos permitir que as pessoas se tratem. Se elas querem plantar cannabis em casa, que o Estado as ofereçam condições legais para que isso ocorra. É absurdo e imoral impedir que uma pessoa se trate”.
Para a vereadora, a Audiência Pública terá papel importante na difusão de conhecimento sobre a cannabis medicinal. Tânia aponta que a população pouco sabe sobre os benefícios da planta e que, por isso, o espaço da Audiência será ideal para a discussão. “A importância de realizar a audiência é tornar público aos parlamentares todas as informações que temos sobre a planta e mostrar para a população de Cuiabá quantos pacientes a utilizam e já melhoraram a qualidade de vida a partir do tratamento”.
Fonte: Assessoria
- Publicidade -
960x120
- Publicidade -

Últimas notícias

Feito com muito 💜 por go7.com.br