Por falta de recursos, prefeituras cancelam carnavais tradicionais de MT

Fullbanner1


Por falta de recursos, prefeituras cancelam carnavais tradicionais de MT

Fonte: VG Notícias
SHARE
Os prefeitos entendem essa decisão como sendo a mais sensata e correta, pois, as Prefeituras não estão em condições de realizar tamanhos investimentos. Foto: Ilustrativa.

As Prefeituras de Nossa Senhora do Livramento (a 38,3 km de Cuiabá) e de Poconé (a 104 km de Cuiabá), informaram essa semana, que uma das festas mais tradicionais do país não será realizada em seus municípios por falta de recursos públicos.

De acordo com o prefeito de Nossa Senhora do Livramento, Silmar de Souza Gonçalves (PSDB), a verba pública que seria destinada à folia de momo, será usada na conclusão da capela mortuária, serviço de tapa-buracos e construção de pontos de ônibus na cidade. Ele ainda pediu para que a população o entendesse.

“Sinto-me muito triste pela eventualidade do cancelamento momentâneo de uma das festas mais querida dos livramentenses, e tão tradicional na Baixada Cuiabana, mas vamos aproveitar o recurso para resolver parte dos problemas da cidade, principalmente neste momento de crise” disse o prefeito.

O prefeito de Poconé, Tatá Amaral (PR), declarou que o Poder Público Municipal reconhece a relevância das manifestações culturais de seus cidadãos, porém, em todos os eventos que reuniram grande participação popular, o município sempre contou com diversas parcerias.

Tatá ainda disse acreditar que a população entenderá essa decisão como sendo a mais sensata, pois, a Prefeitura priorizou garantir o atendimento integral na área da saúde, bem como, investir na infraestrutura do município e honrar com o pagamento da folha de pessoal e fornecedores.

“Queremos pedir a compreensão de todos, pois a nossa vontade de realizar uma grande festa para nossa população é grande, afinal ela merece, porém, é de responsabilidade da Administração Pública Municipal, manter o seu foco naquilo que é prioridade para o bem-estar de cada cidadão, como saúde, educação e infraestrutura”, enfatizou o prefeito.

Os prefeitos entendem essa decisão como sendo a mais sensata e correta, pois, as Prefeituras não estão em condições de realizar tamanhos investimentos. O decreto do governador Mauro Mendes (DEM) de calamidade financeira, inviabilizou, ainda mais, que os municípios recebessem recursos, exclusivos, para as promoções de eventos de grande porte.