Home Editorias Mato Grosso Justiça entende que vítima de acidente não precisa de BO para receber...
Prefeitura Roo
Fullbanner1

Justiça entende que vítima de acidente não precisa de BO para receber seguro DPVAT

Fonte: Da Redação com O Livre.
Indenização do seguro ocorre para vítimas de acidente causado por um veículo automotor

A Justiça Estadual entende que boletim de ocorrência policial não é obrigatório para que pessoa vítima de acidente de trânsito receba o valor do seguro DPVAT. Para o desembargador Sebastião de Moraes Filho, outros documentos podem ser suficientes para comprovar o ocorrido.

O entendimento do magistrado se deu após uma seguradora, responsável por pagar a indenização, ter entrado com com recurso para não efetuar o pagamento a uma pessoa vítima de acidente de trânsito que não apresentou o registro da ocorrência policial.

O desembargador considerou que a certidão de ocorrência do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), o relatório médico e o laudo pericial judicial são suficientes para comprovar o fato e os danos causados à saúde da vítima.

“O pagamento da indenização será efetuado mediante simples prova do acidente e do dano decorrente, indicando que o boletim de ocorrência policial e o laudo do IML como documentos hábeis a demonstrar tais requisitos; sendo evidente que a falta destes pode ser suprida por documentos e outros meios que comprovem, de forma idônea, o acidente e a invalidez dele decorrente”, diz trecho da decisão monocrática.

Sebastião ainda considerou ainda que, nas vias administrativas, a seguradora poderia condicionar o pagamento da indenização à apresentação dos documentos reclamados, mas, judicialmente, tal documento não é obrigatório, diante da ausência de previsão legal.

A indenização do seguro ocorre para todas as vítimas de um acidente causado por um veículo automotor, ou por sua carga. Os valores são pagos individualmente e não dependem da apuração dos culpados.

Os valores atuais pagos pelo DPVAT foram fixados por lei. Em caso de morte a indenização é de R$ 13.500 mil, para invalidez permanente a indenização é de até R$ 13.500 mil e para reembolso de despesas médico-hospitalares é de R$ 2.7 mil.

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Escreva seu comentário
Coloque seu nome aqui