Home Chicote De referência arquitetônica, Câmara de PVA vira paraíso da gambiarra
Prefeitura Roo
Fullbanner1

De referência arquitetônica, Câmara de PVA vira paraíso da gambiarra

Fonte: Da Redação NMT
Considerada por muito tempo a mais bela Câmara do interior de MT, sede do legislativo de Primavera do Leste necessita de reformas urgentes. Foto - NMT

A Câmara Municipal de Primavera do Leste, uma das mais belas cidades do interior de Mato Grosso, já foi considerada referência pela beleza e funcionalidade do prédio, construído na gestão do ex-presidente legislativo, Eraldo Fortes (2007/2008), que retomou uma obra que estava parada, na época, por cinco anos. Com arquitetura moderna, acabamentos em acrílico e contornos que chamam a atenção de qualquer visitante que a vê, acabou se tornando um cartão postal da cidade e motivo de orgulho para o povo primaverense.

A situação, porém, de um tempo para cá, tem sido de penúria e a decadência estrutural foi tanta que quase chegou ao ponto de ser comparada em nível de vergonha para os moradores da cidade com alguns absurdos que ocorreram na parte interna do prédio, onde teve até servidor saindo algemado por maracutaias das mais diversas, farra dos computadores, farra das câmaras de segurança e ex-presidente da Casa sendo flagrado ao supostamente usar dinheiro público municipal para comprar uísque, dentre outras patifarias do gênero.

Em passagem pela cidade, nesta início de semana, o NMT registrou lonas plásticas cobrindo as cúpulas que eram uma das partes mais chamativas da construção. As gambiarras detectadas, segundo informações colhidas no local, são para evitar a entrada de água durante as chuvas e que teriam condições de fazer as goteiras virarem verdadeiras cachoeiras no interior da Câmara.

O chafariz, outro ponto principal da fachada, está inativo e não mais faz parte do cenário até outros dias inspirador. A reflexão traz a certeza que o tempo, de fato, é de economia e otimização dos recursos públicos, mas isso não significa que um gestor tenha de ver um prédio público entrar praticamente em decomposição e não fazer nada a respeito.

A não ser que a estratégia administrativa seja esperar um bloco de concreto cair na cabeça de algum servidor ou cidadão que esteja nas dependências para justificar a urgência no processo licitatório e assim não ter o desgaste do “gasto” junto a opinião pública. A reportagem tentou falar com o atual presidente da Câmara, Paulo Márcio (DEM), para saber se há alguma intenção de reformar o prédio, mas não conseguiu falar com o mesmo.

Foto – NMT

 

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Escreva seu comentário
Coloque seu nome aqui