Home Chicote ACIR confirma acordo e expõe manobra mentirosa de Pátio
fullhome_2

ACIR confirma acordo e expõe manobra mentirosa de Pátio


| Fonte: Da Redação NMT
Ernando e Juarez (centro da foto), atual e ex-presidentes da Acir, respectivamente, apontam o descumprimento de acordo por parte do prefeito Zé do Pátio, (sentado ao fundo). Foto - Assessoria

O prefeito de Rondonópolis, Zé Carlos do Pátio (SD), é, como bem se sabe, um político da chamada escola antiga de homens públicos. Do tempo em que os representantes eleitos, detentores dos microfones e da “versão oficial”, maquiavam seus erros ou suas ações que pudessem ser questionáveis, por meio da manipulação dos fatos, da boa oratória, do controle da mídia ou da vitimização, como é o caso específico do gestor atual da cidade mais importante do interior do estado.

Ocorre que Pátio, formado na conhecida cartilha populista e demagoga do deputado federal e cacique do MDB, Carlos Bezerra (MDB), precisa entender que os tempos mudaram. Hoje a era é da informação verdadeiramente democrática e embora um prefeito siga tendo uma fala muito importante dentro da sociedade, será fatalmente desmentido se quiser ludibriar a população. Sempre terá um olho da verdade para apresentar o contraponto nas redes sociais e então expor o mentiroso ao ridículo.

O famoso acordo entre a bancada federal de Mato Grosso, ainda da legislatura passada, para atender as demandas de infraestrutura do Distrito Industrial de Rondonópolis com R$ 80 milhões – acabaram virando R$ 56 milhões depois de contingenciamento do Governo Federal por questão orçamentária – de fato, ocorreu. Embora os parlamentares e ex-parlamentares estejam evitando tocar publicamente no assunto para não jogar ainda mais gasolina na fogueira do debate político local, todos confirmam em off a versão apresentada em várias matérias do NMT.

Pátio alterou a destinação para desviar, tecnicamente falando, parte do dinheiro para atender bairros que são seus redutos eleitorais, como a região do Nova Conquista e Alfredo de Castro, em detrimento até de localidades mais antigas e igualmente necessitadas de tais investimentos, como é o caso do Sagrada Família e tantas outras da região Salmen e periféricas da cidade. Mas para jogar uma pá de cal no assunto e confirmar que o prefeito mente, como sempre mentiu na sua carreira, ao afirmar que a decisão de não aplicar todo o valor nos distritos seria uma obrigação de sua parte, exigida pelo Governo Federal e pela Caixa Econômica, representantes da Associação Comercial e Industrial de Rondonópolis – ACIR, que participaram, em Brasília, de toda a discussão com a bancada, confirmam que o gestor municipal, na verdade, descumpre sua palavra.

Tanto o ex-presidente da Acir, Juarez Orsolin, quanto o atual, Ernando Machado, confirmam a versão do NMT e a da maioria dos deputados federais e senadores da legislatura que finalizou em janeiro de 2019. O prefeito descumpriu um acordo, de maneira ardilosa, e enganou a classe política e industrial envolvida. Orsolin chegou a realizar um desabafo no WhatsApp e Ernando comentou a situação em nota enviada em nome da ACIR para a imprensa, neste fim de semana. No texto, a agremiação lembra que é responsável por 25% do PIB local e por 4 mil empregos diretos, além dos tantos temporários e indiretos formados nos cinco distritos industriais e no complexo intermodal ferroviário.

Ernando não economizou em críticas e atacou o populismo de Pátio. “A indústria está brigando por condições de trabalho para os trabalhadores, como diz o próprio prefeito “meu povo”, o qual está ficando relegado a segundo plano, andando na contramão do desenvolvimento e geração de emprego. Abandonar os distritos é abandonar o “povo”, que trabalha e que produz””. A lapada, como se diz em Cuiabá, veio acompanhada da lembrança de uma fala do prefeito, em 23 dezembro de 2018, quando garantiu no jornal “ATribuna” que cumpriria o acordo de exclusividade para as obras de recuperação dos distritos, utilizando os R$ 56 milhões.

Ou seja, o NMT precisa refazer o que já publicou em diversos chicotes. O prefeito não só mente agora quando diz que é o Governo Federal quem o obriga fatiar a verba, conforme publicamos, ele mentiu também em dezembro de 2018, quando o próprio Pátio confirmou a existência do acordo. Uma pena é saber que os aliados do prefeito não sentem nenhuma vergonha de espalhar desinformações pelas redes sociais, expondo ainda mais o absurdo feito por aquele que querem defender. Por outro lado, muitos sequer devem dar conta de entender que foi o próprio Pátio quem criou uma realidade para agora se autorotular responsável. Talvez seja muito esperar isso deles, provavelmente até acreditem piamente na versão mitômana.

No frigir dos ovos, o que Pátio, que tem formação em ciências exatas, está fazendo é conta eleitoral. Ele sabe que dificilmente terá o apoio da classe empresarial, até porque a mesma entende de gestão e sabe que ele não tem condições técnicas para comandar Rondonópolis. Sendo assim, é muito mais negócio comprar briga de vez com um público que ele não terá o voto e colocar todas suas energias para agradar seu reduto e fidelizá-lo ainda mais. Não é inédito, como já falamos, Pátio agir desta maneira. O que não se pode mais admitir é o prefeito achar que todo mundo é idiota e não está vendo ou entendendo suas ações…

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here