Home Editorias Mato Grosso Suspeito de divulgar áudios de ‘salve’ atribuídos a facção criminosa é preso...
fullinterna_2

Suspeito de divulgar áudios de ‘salve’ atribuídos a facção criminosa é preso em MT


Essa ameaça de 'salve geral' começou a ser divulgada após a suspensão das visitas aos reeducandos da Penitenciária Central do Estado, em Cuiabá
| Fonte: G1MT
Foto: Reprodução/ Divulgação

Um homem suspeito de difundir áudios de ‘salve’ atribuídos a uma facção criminosa foi preso em flagrante nessa terça-feira (13) pela polícia, em Lucas do Rio de Verde, a 360 km de Cuiabá. A Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesp) informou que está investigando o caso e que os responsáveis por divulgar os áudios serão acionados criminalmente.

Samuel de Souza Valdivino foi preso pela Polícia Civil e Polícia Militar e chorou depois de ser pego.

Ele chorou depois de ter sido preso — Foto: Divulgação

Ele chorou depois de ter sido preso — Foto: Divulgação

Ele responderá pelos crimes de tráfico de drogas e foi autuado por promover, constituir, financiar ou integrar, pessoalmente ou por interposta pessoa, organização criminosa, cuja pena é de 3 a 8 anos reclusão, além de multa.

Essa ameaça de ‘salve geral’ se deu após a suspensão das visitas aos reeducandos da Penitenciária Central do Estado, em Cuiabá.

Conforme a Sesp, a unidade está passando por reforma para mudanças nas celas, pintura e retirada de materiais que estão em desacordo com o Manual de Procedimento Operacional Padrão do Sistema Penitenciário.

Além da reforma, a operação de revista geral tem o objetivo de fortalecer as ações de enfrentamento a crimes que possam ser cometidos dentro da unidade penal, além de se antecipar a possíveis atos delituosos.

Visitas estão suspensas na Penitenciária Central do Estado (PCE) — Foto: Governo de MT/Divulgação

Visitas estão suspensas na Penitenciária Central do Estado (PCE) — Foto: Governo de MT/Divulgação

Nesta semana estão suspensas as visitas aos presos, assim como o atendimento a advogados e defensores públicos. Apenas as escoltas emergenciais, em caso de saúde, serão realizadas.

A operação é realizada apenas na Penitenciária Central do Estado, não sendo estendida a nenhuma outra unidade no interior e nem da capital.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here