Home Destaque Servidor público é acusado de estuprar neta de 10 anos em MT
fullhome_2
fullinterna_1
fullinterna_3

Servidor público é acusado de estuprar neta de 10 anos em MT


Suspeito de 64 anos trabalha na Metamat e recebe R$ 16 mil
| Fonte: Folha Max
Foto: Reprodução

A Polícia Civil de Cuiabá investiga um servidor público de 64 anos que está sendo acusado de estupro de vulnerável contra uma adolescente de 15 anos.

A vítima é neta do acusado e relatou em boletim de ocorrência que foi estuprada pelo avô quando tinha 10 anos. Denunciou que os abusos foram praticados ao longo de oito meses. Porém, somente agora, cinco anos depois do crime é que ela contou para a mãe e ambas decidiram tomar providências.

O acusado, D.J.C, está lotado na Companhia Mato-grossense de Mineração (Metamat) e tem um salário de R$ 16,6 mil. Ele também já foi diretor de Centro Socioeducativo de Cuiabá, conhecido como Pomeri, onde ficam internados os menores infratores.

A denúncia foi oficializada no começo no dia 2 deste mês e divulgada nesta quarta-feira (24). Consta no boletim de ocorrência registrado junto à Polícia Militar, que os abusos foram praticados no período em que a garota passou na casa dos avós em Cuiabá. Durante os oitos meses, ela foi abusada pelo avô e ameaçada de morte para que não contasse para ninguém.

Hoje adolescente, ela relata que o acusado enquanto a estuprava colocava uma tesoura perto lado da cama para reforçar as ameaças e consumar os abusos.

Consta ainda no documento policial que no dia em que registrou o caso na Polícia Militar a vítima, acompanhada a mãe, foi até a Metamat confrontar o acusado e houve discussão entre eles presenciada por outros servidores.

Em seguida a mãe dela acionou a PM ambas se deslocaram à Central de Flagrantes para registrar a denúncia.

A mulher solicitou medidas protetivas para a filha para impedir que o acusado e os filhos dele se aproximem da adolescente. Justificou que teme represálias por parte de familiares do acusado.

rodape_mat
Rodape_Mat2

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here