Home Destaque Para Reginaldo crise no transporte coletivo foi provocada pela interferência direta do...
fullhome_2

Para Reginaldo crise no transporte coletivo foi provocada pela interferência direta do poder público


O vereador Reginaldo Santos – Cidadania, que é membro da Comissão de Transporte, Trânsito e Mobilidade Urbana tem afirmado que parte de crise no transporte coletivo de Rondonópolis, estacionada há quase 6 anos foi potencializada pelo próprio poder público.
| Fonte: Assessoria
Foto: Divulgação
De acordo com o parlamentar, o modelo de execução do transporte não é atrativo e é inviável para qualquer empresa do país. Segundo Reginaldo, a gratuidade representa 33% dos usuários. A operadora ainda é obrigada a custear 50% do passe livre. “Defendo a gratuidade. É essencial para estudantes e outros públicos. Mas essa responsabilidade financeira precisa passar 100% para poder público. A Cidade de Pedra já arca com uma carga alta de tributação, manutenção dos veículos que ultimamente deixa a desejar com frotas antigas e com o salário dos trabalhadores. Quem tem que fazer política pública e arcar com a despesa é o executivo. Passou da hora de cada um assumir suas competências”, critica.

O vereador ainda defende que no próximo edital de licitação a gratuidade e o passe livre sejam discriminados como obrigação total do município. “Tenho certeza que assim outras empresas comparecerão no processo. De outra forma continuará esvaziado. Que empresa está disposta a começar um trabalho com saldo negativo?”, questiona.

O legislador ainda mencionou que as principais reclamações dos usuários são a falta de regularidade de ônibus, falta de um terminal e pontos de ônibus em boas condições. “O correto seria colocar carros em horário de pico a cada 20 minutos. Nos períodos de baixa procura os veículos deveriam circular a cada 30 minutos. Em vários bairros não existem pontos de ônibus com cobertura. Ainda tem uma questão gravíssima Rondonópolis, uma cidade com 240 mil habitantes não possui um terminal com estrutura de abrigo, bancos, banheiros água potável. Aí temos duas opções. Uma é tentar uma parceria entre os setores públicos e privado para construir  uma estrutura na antiga rodoviária. Outra sugestão é aproveitar a reforma da Praça dos Carreiros. Essas medidas precisam sair do papel. Hoje passageiros e trabalhadores simplesmente estão desassistidos. Situação muito grave”, lembra.

Reginaldo cobra que todos os setores da sociedade entrem no debate e ajudem com ideias para resolver o problema. Todos nós se somos usuários ou não de ônibus temos interesse neste debate. Um serviço desse tipo funcionando de forma precária, influencia diretamente no trânsito. Se tivéssemos uma empresa operando a todo vapor com 80 ônibus cortando toda a cidade, com regularidade nos horários, pontos de ônibus e terminais descente e com qualidade, teríamos 35% de carros e motos a menos circulando pelas ruas de Rondonópolis. Num universo de 170 mil veículos rondando por ruas e avenidas faz toda a diferença. Precisamos melhorar nosso transporte coletivo e tirar o excesso de veículos das ruas”, pontua.

Por fim, o vereador ainda afirmou uma empresa com carros novos e frota condizente com o número de passageiros vai naturalmente atrair usuários que se afastaram do transporte coletivo. “ Não tenho dúvida, que ônibus novos, circulando em grande volume e dentro do horário vai chamar de volta muitos passageiros. É mais seguro, barato só falta oferecer um serviço de qualidade. Se acontecer uma mudança, a procura aumentará naturalmente”, garante.

Segundo pesquisa divulgada pelo Instituto Datafolha 74% da população brasileira é a favor do transporte que estimula a redução da circulação de carros e motos nas cidades.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here