Home Cuiabá Após confusão em boate, ex-prefeito em MT denuncia “escravização” de garotas de...
fullhome_2

Após confusão em boate, ex-prefeito em MT denuncia “escravização” de garotas de programa


| Fonte: Assessoria
Foto: Reprodução

O ex-prefeito de Juscimeira (157 km da Capital) e ex-presidente da AMM Valdecir Colle, o Chiquinho do Posto (PSD), denunciou uma suposta situação insalubre vivida por mulheres que trabalham na boate Crystal, em Cuiabá.

Segundo o político, há exploração de “atividades sexuais” no local e as refeições são cobradas das trabalhadoras, situação em desacordo com a legislação. Denuncia também que os banheiros utilizados pelas mulheres estariam em situação crítica, “tudo arregaçado” e que o estabelecimento estaria funcionando sem a documentação básica, como alvará.

“E qualquer pessoa que vai lá, que tenta mostrar alguma coisa, eles mandam calar a boca, ameaçam. Eu quero fazer essa denúncia, não quero esconder meu nome, não. Vou comprar uma guerra com a boate Crystal”, disse ao Rd News.

Chiquinho disse que, no sábado (18), garçons da boate o teriam ameaçado de morte. E que pretende fazer denúncia formal ao Ministério Público Estadual (MPE) e à Polícia Judiciária Civil (PJC).

O gerente da Crystal, Fábio Luís Braz, rechaçou as denúncias e garante que o ex-prefeito não foi agredido ou ameaçado. “Não presenciei nada disso. Em nenhum momento ele recebeu ameaças aqui”, afirmou, em entrevista ao Rd News.

Fábio também negou que haja qualquer irregularidade na documentação de funcionamento e apresentou alvarás à reportagem. “A boate tem todos os documentos em dia. Ele (Chiquinho) deve ter tido algum problema lá fora, com alguma das meninas, e está jogando a boate no meio para denegrir a imagem da empresa”, dispara – veja vídeo do banheiro.

O gerente ressalta ainda que não sabe o porque do ex-presidente da AMM estar atacando o estabelecimento comercial. Segundo Braz, Chiquinho é cliente assíduo e nunca havia reclamado da Crystal. “Muitas vezes, ele chegou aqui e quis que assinasse as contas para ele. Ele não vinha com dinheiro e pedia para a gerência assinar. Eu fui proibido pelo dono da empresa de assinar conta aqui, porque somente garçom pode assinar. Eu fiz essa camaradagem para ele e assinei as contas. Não sei por qual motivo ele está fazendo tudo isso”, disse.

O gerente também negou que os salários das mulheres sejam descontados pelos proprietários da boate. “Na verdade, nada do que ele falou procede”. “Ele me enviou vários áudios denegrindo a empresa, falando que vai colocar o governo, prefeitura e Vigilância Sanitária para virem aqui e fazer toda a averiguação. Mas a documentação da boate está toda em dia”, completou.

Foto: Divulgação

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here